top of page
Buscar
  • Foto do escritorElevée Escola de Dança

Você é bailarina, né? Deu pra perceber.

Bailarinas e bailarinos são facilmente identificados pelas pessoas, dizem que é pela maneira como se compartam. Mas que maneira é essa? E por que é tão perceptível? A etiqueta de um bailarino ou de uma bailarina: a postura, pontualidade, assiduidade, entre outras características, contribuem para o comportamento que identifica de longe esse artista.

O respeito as regras e protocolos são ensinados desde muito cedo no ballet acadêmico. O bailarino ou a bailarina deve se preparar para a aula e chegar antes dela iniciar, para poder se aquecer e alongar. Ao entrar deve respeitar o espaço, o professor e os colegas que dividem a aula com ele. É comum as pessoas pagarem por uma atividade extra curricular e por vezes faltarem nas aulas. A assiduidade na aula de dança é imprescindível, pois a cada aula há uma novidade, uma correção ou um exercício que o aprendiz não viu. É através da assiduidade que o bailarino e a bailarina chega ao ápice da sua performance, treinando todos os dias, aprendendo todos os dias, corrigindo-se e sendo corrigido todos os dias.

A postura de um bailarino ou de uma bailarina vem da própria técnica e do conhecimento do seu corpo. A medida em que o treino avança ele é capaz de ocupar o espaço e dominar seu corpo com precisão, reforçando ainda mais este esteriótipo e comportamento corporal.


Pontualidade é outro atributo importante de um bailarino ou de uma bailarina. Se chegar atrasado ele deve pedir permissão para entrar na sala, pois os demais colegas e o professor já iniciaram as atividades e isso pode interromper um processo didático ou tirar a atenção necessária para executar os exercícios.

Espera-se que o aluno esteja sempre atento não apenas a essas condutas, mas também a outros atributos de convivência, como o respeito. Bailarinos e bailarinas são, acima de tudo seres humanos que devem conviver e cooperar para que a comunidade viva em harmonia, em nada adiantará ter uma conduta impecável em sala de aula e não contribuir para a sociedade; deve ser como um corpo de baile.


Por, Phayga Gruber.

Referência: "Ballet: fundamentos e técnica" Kassing, Gayle. Barueri, SP. 2016.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

IN MY LIFE

bottom of page